segunda-feira, 2 de julho de 2018




VI – REFLEXÕES SOBRE O LIVRO “LIBERTAÇÃO” – ANDRÉ LUIZ/CHICO XAVIER

Ainda no capítulo I, de “Libertação”, o Ministro Flácus faz espantosa afirmação:
“Mentes cristalizadas na rebeldia, tentam solapar, em vão, a Sabedoria Eterna, criando quistos de vida inferior, na organização terrestre, entrincheiradas nas paixões escuras que lhes vergastam as consciências. Conhecem inumeráveis recursos de perturbar e ferir, obscurecer e aniquilar. Escravizam o serviço benéfico da reencarnação em grandes setores expiatórios e dispõem de agentes da discórdia contra todas as manifestações dos sublimes propósitos que o Senhor nos traçou às ações”. (destacamos)
Diante do que elucida o Ministro Flácus, o que dizer àqueles nossos confrades que vivem afirmando que os espíritos, antes de voltar a Terra, em novo corpo, passam por “Institutos de Reencarnação”?! Se tal ocorresse com todos os espíritos, seria a falência moral desses “Institutos”, já que, ao que se vê, a suposta preparação pouco lhes tem servido ao êxito em seu regresso ao corpo.
Como falar-se, por exemplo, em “Institutos de Reencarnação” funcionando para espíritos que sequer aceitam as Vidas Sucessivas?! Será que os fanáticos religiosos, espalhados por toda a parte do orbe terrestre, se submetem a tais “Institutos”?!...
*
Muitos espíritas, infelizmente, continuam a pensar muito “pequeno” em relação à Vida, e a grandeza da Revelação Espírita – passaram a se considerar “donos” do Mundo Espiritual, como se o Mundo Espiritual se inclinasse a atender aos seus caprichos pessoais...
*
Pelo exposto por Flácus, existem espíritos, altamente intelectualizadas, que, igualmente, dominam o conhecimento da técnica reencarnatória, e que providenciam para que os seus “agentes” tomem corpo na Terra, a fim de impedir o progresso da Humanidade.
Parece ficção, mas não é – a Vida parece ficção! Estamos diante da mais pura realidade, com espíritos, inclusive, renascendo no meio espírita, para criaram a perturbação, desviando a Doutrina de seus propósitos.
Chico Xavier, desde que reencarnou com a missão de complementar a Obra Kardeciana, sempre teve as trevas em seu encalço – começou quando ele tinha 5 anos de idade e, tendo ficado órfão, foi morar com uma senhora desequilibrada, sua madrinha, através da qual, várias vezes, o Mundo Espiritual inferior tentou matá-lo – enfiando garfos em seu ventre –, ou prejudicar a sua lucidez intelectual deixando que ele crescesse em estado de subnutrição – literalmente, ele passou fome...
Até a sua desencarnação, em 2002, aos 92 de idade, Chico teve as trevas por companhia, rondando os seus passos, padecendo, inclusive, ao que sabemos, ameaças de morte, com revólver apontado à sua cabeça...
*
Ainda hoje, infelizmente, passados mais de quinze anos de seu desenlace, os “despojos” de Chico são disputados pelas “hienas” do Mundo Espiritual inferior, que não desistem de lhe sugar a abençoada carcaça...
Porém, o reinado das próprias trevas tem seu fim, e, felizmente, já estamos às vésperas de indispensável “limpeza” na seara, que, então, sob o fôlego de espíritos mais nobres, que estão reencarnados e reencarnando, há de respirar novos ares.

INÁCIO FERREIRA

Uberaba – MG, 2 de julho de 2018.