domingo, 13 de junho de 2021

 

Que Bom Seria

 

Que bom seria se a desencarnação, por si só, extinguisse de vez com a nossa humanidade, ou desumanidade...

Se nos isentasse da necessidade que temos de prosseguir lutando pela aquisição de paz interior...

Se nos livrasse de expiações e provas, zerando os débitos contraídos em pregressas existências...

Se nos libertasse das paixões e, assim, não mais tivéssemos que lutar contra nenhuma espécie de tentação...

Se no simples fenômeno de deixar o corpo carnal pudéssemos, com ele, deixar as mazelas de ordem moral e... física...

Se ao nos transferirmos de Plano existencial, lográssemos superar toda e qualquer materialidade que ainda nos pesa no espírito...

Se não mais nos encontrássemos divididos e, realmente, nos sentíssemos como integrantes da mesma família...

Se os nossos pensamentos e sentimentos pudessem se unificar e, por sua causa, não mais nos conflitássemos uns com os outros...

Se faceando as realidades da Vida Imortal, de repente, ocorresse-nos uma mudança radical nas fanáticas concepções de fé...

Se o egoísmo que se nos encontra arraigado ao ser, cedesse espaço ao amor incondicional...

Se, ao nos sentirmos libertos das condições humanas que nos agrupam, e nos distanciam, nos abraçássemos todos como irmãos...

Se toda a ignorância que nos caracteriza encontrasse o seu fim na revelação de todos os mistérios da Criação...

Se, assim, num passe de mágica, os maus se tornassem bons e os bons se fizessem sempre melhores...

Se os processos de obsessão e auto obsessão passassem, motivados por ódio e desejo de vingança, a carecer de sentido...

Se ninguém mais tivesse o que perdoar e no que ser perdoado, dispensando incontáveis renascimentos para tanto...

Se todas as nossas carências desaparecessem de hora para outra, e, inclusive, não mais precisássemos trabalhar pelo pão de cada dia...

(Que beleza!)

Se o Criador nos outorgasse depois da morte física o que, graciosamente, a ninguém outorga sobre a face da Terra...

Se lágrimas e suores passassem a secreções supérfluas, com as emoções e glândulas que os produzem perdessem, então, todas as suas inúteis funções...

Se pudéssemos, de imediato, reencontrar os afetos mais queridos que nos antecederam na Grande Viagem, e deles não mais nos apartássemos...

Se nossas mães pudessem ser eternamente nossas mães, e nós, seus filhos, pudéssemos ser os filhos que elas sempre sonharam que, um dia, viéssemos a ser...

Que bom seria se, por ação da indesejada morte, voltássemos a habitar o Éden, antes, no entanto, da criação da serpente e dessa consequente “bagunça” toda por conta de uma mordida em fruta não tão saborosa assim – uma maçã! Ainda, pelo menos, se fosse por causa de uma jaca...

Que bom seria...

Noves fora maçã, ou jaca, que bom seria...

Vocês não acham?!...

 

INÁCIO FERREIRA

 

Uberaba – MG, 13 de Junho de 2021.

 

 

 

 

 

 

segunda-feira, 7 de junho de 2021

 

A Tua Opinião

 

A tua opinião, quando se exterioriza com educação, respeito, conhecimento e elegância, sempre vale + 1, todavia, não valerá mais o que vale a tua opinião...

Semelhante a tantas outras...

Repleta, talvez, de atavismos...

De ativismos...

De paixão...

De coloração...

De intenção

Escusa, ou não...

Quando, porém, a tua opinião se manifesta com soberba, com grosseria, com leviandade, ela sempre vale ­– 1, chegando, assim, a ser menor que 0...

Nunca te creias dono da razão –

Posicionamento ridículo...

Pigmeu...

Rasteiro...

Ingênuo...

A tua palavra, muitas vezes, não consegue o aval nem de tua consciência...

Pretensão de erudição...

De academicismo...

Enfim, de falsa intelectualidade...

Opinião covarde...

Repleta de hipocrisia,

Ao lado da maioria...

A opinião de muita gente e, talvez, seja este o teu caso, é uma via de mão única –

Não admite diálogo...

Estar enganado...

Na totalidade, ou em parte...

Ponto de vista doutrinado,

Alucinado,

Em nome da arte,

Cheio de pré-conceitos...

Sempre tive comigo,

Ao lado da escrivaninha,

Repleta de opiniões sinceras,

Dúvidas pertinentes,

Merecedoras de atenção,

Uma lata de lixo,

Ou melhor, duas latas,

Às vezes, três ou... quatro,

Para onde destino

Opiniões sem dono,

Enfim,

Que sequer chego a ler assim...

Sei, igualmente, que a minha opinião

É minha,

Sozinha...

Entretanto, prefiro,

Errar sendo honesto comigo,

Do que errar sendo desonesto contigo!...

 

INÁCIO FERREIRA

 

Uberaba – MG, 6 de Junho de 2021.

 

 

 

 

 

domingo, 30 de maio de 2021

 

A Situação do Brasil – ll

 

Dr. Inácio, alguém disse que o senhor respondeu às perguntas anteriores “pisando em ovos”...

- Pisando em terreno minado, talvez, fosse melhor colocado... Reconheço que, para poupar o médium, não devo externar de maneira tão direta o que penso a respeito da situação político-partidária do Brasil. Mas, verdadeiramente, o que penso é que além de investimentos na construção de novos hospitais e escolas, carecemos de construir novas penitenciárias para os “marginais de gravata” – Niemayer, deveria ter pensado nisto!...

Outros estão dizendo que espírito superior não anda interferindo em temas concernentes à política terrena?!...

- Correto... Vocês estão abandonados à ação dos obsessores! Agora, quanto à minha condição, estou longe de ser um espírito superior e, portanto, sinto-me bem à vontade para fazer as minhas ingerências.

Disseram que o senhor é a favor do cidadão comum andar armado... É verdade?!...

- Não, sou apenas a favor dos marginais armados, notadamente daqueles que podem invadir a sua casa e estuprar sua esposa, seus filhos e netos.

Dizem que é ser contra o Evangelho...

- Então, vocês vão ter que me explicar melhor o que disse Jesus quando falou que tinha vindo trazer a espada... Não posso interpretar as palavras do Mestre, apenas de maneira literal, mas creio que, no momento certo, elas possam ser literalmente interpretadas...

E essa questão do vírus?!...

- Do vírus chinês?! Eu já pude vê-lo e ele tem uma coloração muito vermelha para o meu gosto... Nada a ver com a cor dos uniformes dos times de futebol, principalmente com os de meu coração – Uberaba Sport Club, por exemplo...

Na atualidade, a política para o senhor?!...

- Mundialmente falando, muito joio em meio ao trigal... Aliás foram os politiqueiros “doutores da lei” que mandaram Jesus Cristo para a cruz... Cá entre nós, esse vírus é meio “seletivo”, vocês não acham?! Creio que ele seja da mesma família dos ditadores, dos corruptos, dos bandidos...

Está sendo realizado agora uma CPI...

- Estou sabendo, um novo circo que chegou à Brasília – dizem que a lona é muito chique e que o picadeiro é sofisticado... Ah, que saudades do Tihany – os palhaços eram autênticos e admiráveis!...

O senhor crê que o Brasil conseguirá dar a volta por cima?!...

- Creio sim, mas a luta ainda será grande, porque, na atualidade, até parte da mídia de vocês está comprada – como a própria mídia espírita, em grande parte, é vendilhona... Os brasileiros espíritas, ou os espíritas brasileiros, precisam ser menos “caridosos”, e ter um pouco mais de caráter para dizer a verdade...

Arrisca-se a prognósticos?!...

- Embora com alguns borrões, o meu será sempre verde-amarelo, e não embarco na onda dos falsos intelectuais doutrinados, nem dos que se consideram personalidades notáveis, quando não passam usuários do WC como qualquer um de nós...

Como qualquer um de nós?!...

- Vocês acham, então, que o meu corpo espiritual é entupido?! Por onde há de sair o que ainda tenho necessidade de comer?! Se bem que, por alguns, sai mesmo é pela boca... Mais alguma pergunta?!...

Voto impresso?!...

- Por que não?! Essa história de anonimato... Bem, é melhor eu parar por aqui – Modesta chegou perto e, na condição de minha “consciência exterior”, ela é implacável...

Para o senhor, qual é a percentagem dos políticos que não deveriam estar ocupando os cargos que ocupam?!...

- Perto de 100%... Por outro lado, reconheço que tem muita gente nova idealista, mas que, todos os dias, está se expondo à contaminação. O cheiro do poder, para mim, é quase o cheiro da cocaína... Em tempo: além de rapé, nunca cheirei nada!...

Qual é o caminho, então?!...

- “Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida”!...

 

INÁCIO FERREIRA

 

Uberaba – MG, 30 de Maio de 2021.

 

 

 

domingo, 23 de maio de 2021

 

A Situação do Brasil

 

- Dr. Inácio, podemos conversar a respeito da situação atual do Brasil, país fadado a ser o Coração do Mundo e a Pátria do Evangelho?!...

- Se a conversa não descambar para assuntos de natureza político- partidário, podemos.

- Por que, “se não descambar para assuntos de natureza político- partidária”?!...

- Porque todos os partidos possuem erros e acertos, alguns mais erros que acertos, estando, sim, necessitados de maior dose de ideal em defesa da comunidade.

- No entanto, o senhor acredita que o país esteja melhorando?...

- Em minha concepção pessoal, sim, embora muito, e muito, esteja para ser feito, em todas as áreas: Educação, Saúde, Trabalho, Segurança...

- No que o senhor acredita que o Brasil esteja melhorando?!...

- No campo da solidariedade, por exemplo, entre os brasileiros comuns, e, ainda, pelo anseio popular de que o Brasil continue a ser um país livre, sem tantas injustiças sociais.

- Ainda há muita injustiça social no Brasil?!...

- Claro, e, infelizmente, ela começa de cima para baixo – as pessoas certas, ou mais certas, ainda não estão colocadas nos lugares que devem ocupar. Daí, para o brasileiro, a importância do voto nas próximas eleições.

- Como acabar com a criminalidade no país?!...

- Primeiro, pela educação, e, depois, pelo trabalho – necessário que se tenha escola e trabalho para todos.

- Os Espíritos Superiores têm procurado auxiliar o Brasil?!...

- Assim como a todos os demais países – neste sentido, o Brasil não é um país privilegiado. Claro que este auxilio passa pelo crivo do livre arbítrio dos encarnados, e, muitas vezes, nele esbarra.

- O Brasil está se saindo bem na condução da atual pandemia?!...

- Creio que os partidarismos, em geral, têm atrapalhado muito, pois, caso contrário, poderia, sem dúvida, estar se saindo muito melhor – é uma realidade a “politização” da pandemia do Coronavírus.

- “Politização”?!...

- Generalizada, na qual todos os partidos se encontram envolvidos, não priorizando o coletivo. Falta-nos, aos brasileiros, um pouco mais de civismo, de idealismo, enfim, de amor ao próximo.

- O senhor crê no futuro do Brasil?!...

- Claro que sim. Não teremos retrocesso, o que, convenhamos, seria contra a Lei do Progresso. Volto a repetir, no entanto, que a minha palavra é destituída de coloração política. O futuro está sempre batendo às portas, e é impossível que não caminhemos em sua direção.

- Teremos que lidar com outras pandemias?!...

- Possivelmente. Creio que, neste sentido, a pandemia atual esteja sendo um alerta para todos os países, a fim de que melhor se preparem e não venham a ser surpreendidos.

- O senhor crê numa guerra de grandes proporções?!...

- O meu otimismo me leva a responder que não.

- E sem o seu otimismo?!...

- Segundo estatísticas, somente no ano de 2020, a Terra sofre com 10 conflitos preocupantes – três deles estão acontecendo na África. Na América do Sul, outros conflitos bélicos estão em gestação. Fiquemos por aí.

- O senhor pretende reencarnar?!...

- Eu não sei porque vocês se preocupam tanto com a minha reencarnação! Estou incomodando muito?! Perguntar a um espírito se ele pretende reencarnar é o mesmo que perguntar a outro se ele pretende desencarnar.

- Se reencarnar, será no Brasil?!...

- Eu sou um mero cumpridor de ordens.

- Para encerrar, que o senhor acha do espírita na Política?!...

- Que Deus o auxilie a se manter dentro de suas convicções de fé, não consentindo que a tentação do poder desvirtue o seu ideal de servir.

 

INÁCIO FERREIRA

 

Uberaba – MG, 23 de Maio de 2021.

 

 

 

 

 

domingo, 16 de maio de 2021

 

Eles Estão Bem

 

Minha cara, você me escreve perguntando se o filho querido desencarnado se encontra bem no Mundo Espiritual.

Claro que ele está bem e amparado pela ação de diversos amigos e familiares que com ele se preocupam, pois, inclusive sobre a Terra, felizmente, hoje são raros os que permanecem sem assistência nas ruas.

Os desencarnados não incentivariam os encarnados a trabalhar para se conservarem de braços cruzados.

Dos Dois Lados da Vida, o problema que precisamos saber administrar é a saudade, à qual, por vezes, muito passam a prestar doentio culto.

Por mais amor que você consagre ao filho que partiu, jamais acredite que a sua dor possa ser maior que a dor de qualquer mãe que esteja passando por prova semelhante à sua.

De minha parte, digo a você que é mais fácil os encarnados não ficarem bem ante a desencarnação de um ente amado, do que ele, de certa maneira, não se sentir aliviado por ter se emancipado dos pesados grilhões da matéria.

A rigor, os vivos continuam mais necessitados de preces do que os mortos.

 

INÁCIO FERREIRA

(Página extraída do livro “Paz de Espírito” – Editora LEEPP, Uberaba – MG).

 

 

domingo, 9 de maio de 2021

 

“Olho Gordo”

 

Há pouco tempo, estando já daqui deste Outro Lado, me encontrei com uma amiga que, em rápidas palavras, apenas com o propósito de espairecer, traduzirei o que ela, então, me disse:

- Doutor, tome muito cuidado com “olho gordo”...

- Eu sempre ouvi essa expressão, mas... – retruquei algo reticente.

- Doutor, existe sim...

- ?!...

- Vibrações de inveja... Convém tomar muito cuidado sempre...

E deu-me uma receita de sua avó:

- A gente precisa ter uma planta em casa, nem que seja num vaso...

- O que uma planta tem a ver com essa estória de “olho gordo”?! – inquiri, curioso.

- Tendo uma planta em casa, o “olho gordo” pega na planta e... não pega na gente!...

- Verdade?! Coitada da pobre!...

- Ah, eu sempre pude comprovar... O tal de “olho gordo”...

- Minha irmã – redargui –, mas se é assim eu vou ter que plantar um “Jardim Botânico” em casa, ou, pensando melhor, o que restou da Mata Atlântica...

Ela sorriu e, despedindo-se, arrematou:

- Não descreia, Doutor, não descreia! A conselho de minha avó, eu sempre tive um vaso de arruda, ou um de comigo-ninguém-pode, ou ainda um de guiné...

Com todo respeito, sorri da crença da amiga que se afastou, que, mesmo estando “morta”, não esquecia a recomendação de sua querida avoenga.

Quanto a mim, fiquei a pensar que, de fato, o problema da vibração de inveja, ou seja lá qual for, não pode ser tão menosprezado, pois, realmente, eu não acredito no tal de “olho gordo”, mas creio no chamado olhar de “secar pimenteira”...

Vocês devem estar sorrindo, não é?! Pois eu também estou, e muito, dando gostosas gargalhadas, porque desde cedo aprendi que a alegria é um dos melhores antídotos contra o veneno da inveja.

A alegria é um “anticorpo” de ação comprovada, até mesmo contra certos vírus que podem levar os encarnados, e até os desencarnados, a um desenlace.

- Desenlace de desencarnado?!...

Ah, outra hora falamos deste assunto, que vai consumir muito espaço no Blog.

Continuemos a falar sobre a questão filosófica do “olho gordo”, que tanto pode ser de gente magra, magérrima, quanto de gente obesa...

No entanto, sendo como a avó de minha amiga disse, o “olho gordo” quando parte de espírita deve possuir uma obesidade mórbida – “olho gordo” de espírita, talvez, apenas a nossa Dona Cherubina, com os seus muitos santos... (Vocês se recordam dela, de o “Sob as Cinzas do Tempo”?! Ela reencarnou... Pude visitá-la não faz muito: uma garota linda!...)

Contra “olho gordo” de espírita é preciso muito benzição (ops), muito passe e... muita alegria, alegria na alma por estar cumprindo com o dever, sem dever nada a ninguém...  

Todavia, antes que, pela milionésima vez, eu seja rotulado de antidoutrinário (e por esses “doutrinadores” que andam por aí, eu sou mesmo, porque discordo deles quase que 99,9%...), devo esclarecer que aqui no “Hospital dos Médiuns” não temos nenhum pé de arruda, ou de comigo-ninguém-pode, nem de guiné... Confesso a vocês que não! Só tenham aguado, de quando em quando, por via das dúvidas, um pequeno vaso de Espada de São Jorge, humilde vegetal com que, um dia, a nossa desencarnada irmã Alcina deu uma surra numa pessoa, alegando que precisava tirar dele o diabo do corpo!...

- Se o diabo saiu?!...

- Ah, deve ter saído, porque foi muita lambada até mesmo para o diabo aguentar!...

 

INÁCIO FERREIRA

 

Uberaba – MG, 9 de Maio de 2021.

 

 

 

 

 

segunda-feira, 3 de maio de 2021

 

Faz Parte

 

Diante das convulsões sociais que a Humanidade vem atravessando, que são, antes, de ordem espiritual, o importante é que cada um não se entregue ao desânimo e à desesperança.

Todos esses acontecimentos negativos que concorrem para que o homem esmoreça diante da luta, e, dentre eles, a pandemia do “Coronavírus”, fazem parte de seu processo evolutivo, no orbe que, de fato, se encontra em transição.

Não há que ninguém, pois, venha a se render à descrença em dias melhores, que sucederão os que estão sendo atravessados na atualidade, dias em que densas nuvens parecem eclipsar a claridade solar que não se altera no firmamento.

Durante algum tempo, haverá necessidade de que os nossos irmãos e irmãs, que se encontram no envoltório carnal, sobrevivam mais de esperança que de certeza, de vez que a luz que existe no fim do túnel ainda não pode ser divisada com a nitidez que se deseja.

Contudo, repetimos, tais provações, que, não raro, nos dão a impressão de titânica “queda de braços”, entre o Bem e o mal, fazem parte do que a Lei Divina determina para a aferição de valores de todos os espíritos que, direta e indiretamente, nelas se encontram envolvidos.

Não há como possa ser diferente, a não ser que tivéssemos feito diferente o caminho que, até o presente momento, temos trilhado.

À semeadura, sucede-se a colheita.

Depois da semente no chão, não há como não se fazer a ceifa de sua semeadura.

Portanto, procuremos nos revestir de muita calma e paciência, confiando na Divina Misericórdia, que não criou a raça humana para promover a sua extinção.

Continuemos a optar pela “porta estreita”, resignados ante as consequências que semelhante escolha sempre acarreta para aqueles que tomam a decisão de não seguir por nenhum atalho que os coloque em conflito com a consciência.

Na medida de nossas possibilidades, e mesmo até um pouco além delas, procuremos cooperar com o Cristo na construção do Mundo Melhor, testemunhando a fé, embora, não raro, com lágrimas de tristeza que nos caem dos olhos, por ver o rumo que, infelizmente, as coisas andam tomando.

Não concordemos em ser partícipes do caos que se estabelece e que, talvez, venha a se estabelecer de maneira mais generalizada, para que, enfim, o joio não venha se confundir com o trigo.

Cumpramos com os deveres, todos eles, a que somos chamados, para que não venhamos a estar entre os primogênitos “na terra do Egito”, que, gradativamente, haverão de ser encaminhados a doloroso exílio.

Cuidemos para que os nossos interesses pessoais não falem mais alto e nos destituam do discernimento justo.

O que está ocorrendo na Terra de agora, sem dúvida, faz parte e não é de se estranhar, porque, afinal, tais tempos estão previstos desde muito, e poucos foram e são os que possuem ouvidos de ouvir.

 

INÁCIO FERREIRA

 

Uberaba – MG, 3 de Maio de 2021.

 

 

 

  

 

 

 

domingo, 25 de abril de 2021

 

Os Espíritas Que Contestam Chico Xavier

 

Os espíritas que contestam a Obra Mediúnica de Chico Xavier, e, sem a menor noção de ridículo, contestam, igualmente, a sua vida apostolar, segundo podemos observar, podem ser divididos assim:

a)    Os que, devido a questões de vaidade e personalismo, querem obter destaque através das críticas ingênuas que lhe fazem;

b)    Os que lhe temem os exemplos de renúncia e devotamento com os quais nos mostrou como a Doutrina deve ser aplicada;

c)     Os que, de maneira consciente ou inconsciente, a serviço das trevas, querem minimizar a grandeza da tarefa que ele cumpriu...

Claro que poderíamos, apontando as possíveis causas de oposição a Chico Xavier, e ao que ele representa, por alguns espíritas, utilizar as letras do alfabeto inteiro...

Não obstante, fiquemos apenas com o a, b, c, desse estranho alfabeto, no qual, de maneira geral, estão incluídos os que, de uma forma ou de outra, querem ser mais do que Chico foi e continua sendo –

Querem ser eles mesmos, talvez, a reencarnação do próprio Codificador, ou, no mínimo, um espírito de alta hierarquia a preservar a Doutrina de seus supostos desvios!...

Há quem não aceite a Chico pelo fato, segundo alegam, de ter feito com que o Espiritismo enveredasse, no Brasil, pela sua vertente religiosa, mais que pela sua vertente científica.

Esses nossos irmãos, pedindo a eles que nos perdoem, que assim falam, no entanto, nada são capazes de fazer para que a Doutrina se destaque do ponto de vista científico – e nada fazem pela sua incapacidade intelectual de o fazer, de vez que são detentores de rasa cultura para tanto.

Pretendem inovar no campo da compreensão da Doutrina, e de seu estudo, não obstante, ficam sempre a “chover no molhado”, de vez que, infelizmente, ler o que escrevem ou escutar o que dizem nada acrescenta – terminam, porém, porque logram se expressar verbalmente com facilidade, fazendo uma pequena legião de seguidores com a qual se sentem entronizados, passando o resto da encarnação a se imaginarem cumprindo elevado desiderato.

É uma pena...

Se tais se limitassem a proferir as suas “palestrinhas” nos Centros Espíritas mais humildes, fazer sopa para os pobres com fome, transmitir passes nos doentes, preocupar-se em evangelizar crianças, fariam muito mais pela Doutrina do que pensam estar fazendo, escutando os aplausos daqueles que lhes entorpecem as mentes.

Temos visto obras escritas sobre as Obras de Kardec que são de tal forma volumosas e prolixas que inviabilizam a sua leitura por parte dos adeptos mais interessados.

É uma pena...

De nossa parte, vamos seguindo, considerando a Obra Mediúnica de Chico Xavier, depois da Codificação, como a mais importante de todos os tempos para que o homem melhor compreenda a sua essência.

Infelizmente, porém, dentro dessas tentativas de diminuir o valor da Obra do grande medianeiro, um dos maiores Apóstolos do Cristo, ainda nos deparamos com o absurdo de um punhado de vaidosos e personalistas da Federação Espírita Brasileira, que, não podendo escrever as Obras que o Chico escreveu, deliberaram fazer cocô de mosquito sobre elas, e as adulteraram na letra, de vez que, por mais façam, nunca haverão de adulterá-las no coração do povo.

 

INÁCIO FERREIRA

 

Uberaba – MG, 25 de Abril de 2021.

 

 

domingo, 18 de abril de 2021

 

A Obra Literária de Chico Xavier

(Em Homenagem ao 18 de Abril)

 

Alguns amigos nos solicitam, ainda que rapidamente, uma análise literária da Obra Mediúnica de Chico Xavier. Por não sermos experts no assunto, não poderemos fazê-lo, de vez que, segundo cremos, ele cabe aos especialistas.

Contudo, podemos dizer que a Obra Mediúnica de Chico Xavier, desde a sua primeira publicação, “Parnaso de Além Túmulo”, vem sendo analisada literariamente, causando surpresa aos estudiosos isentos pela sua autenticidade.

Chico Xavier psicografou em todos os gêneros literários: épico, lírico e dramático – por seu intermédio, desde 1927, os Autores Espirituais escreveram romances, novelas, contos, crônicas, poemas, canções...

Chico, ainda, produziu notável literatura infanto-juvenil, através, por exemplo, das obras intituladas: “Os Filhos do Grande Rei”, “Mensagem do Pequeno Morto”, “História da Maricota”, “Jardim da Infância”, “Cartilha do Bem”, “Pai Nosso”, etc.

Habitualmente, os grandes escritores, os mais premiados, revelam inata tendência para gênero específico de literatura, mais consoante com a sua capacidade intelectual e preferência. Na condição de médium, porém, Chico serviu de instrumento para diversos espíritos que, por ele, se manifestavam com a sua especialização literária: os poetas do “Parnaso”, os cronistas de “Vozes do Grande Além”, com destaque para Humberto de Campos, em “Crônicas de Além-Túmulo”, então considerado o maior cronista brasileiro, e ocupante da cadeira 20 da Academia Brasileira de Letras...

Emmanuel, que, em um de suas múltiplas encarnações, foi o Padre Manoel da Nóbrega, considerado o Primeiro Escritor do Brasil, dedicou-se, através do versátil médium, a escrever épicos históricos, em Português castiço, impecável – as suas Obras Literárias, essencialmente Doutrinárias, aliás, como todas as demais, versam sobre o Cristianismo Nascente. Em “Paulo e Estêvão”, por exemplo, tendo como inspiração a vida de Paulo de Tarso, o denominado Apóstolo dos Gentios, nos deparamos com a História do Cristianismo em seus primeiros tempos. Emmanuel, no livro “Renúncia”, ainda nos traz vestígios do trabalho que, ao longo dos séculos, os espíritos, e, dentre eles, Alcíone e Padre Damiano, efetuaram em favor do Cristianismo, na Europa e na América, nos preparativos espirituais para que a Terceira Revelação se concretizasse, a partir da publicação de “O Livro dos Espíritos”, em Paris, na França, a 18 de Abril de 1857.

O trabalho de André Luiz, pseudônimo do Dr. Carlos Chagas, do ponto de vista literário e doutrinário, pode ser considerado inovador, porque se servindo de resumidas narrativas, o festejado Autor Espiritual de “Nosso Lar”, dá sequência à revelação em torno da vida dos espíritos além da morte – as obras de André Luiz, dentro da Literatura, podem, sem dúvida, ser classificadas como dramáticas, porque versam sobre as realidades do espírito na Vida Maior – de “Nosso Lar” a “E a Vida Continua...”. Desse mesmo autor que, quando encarnado, foi um cientista de mérito, podemos colocar em destaque o excelente “Evolução em Dois Mundos”, publicação de natureza científica que impressiona pela sua originalidade, a que nenhuma outra obra de autor encarnado ou desencarnado pode se comparar.

Interessante frisar que toda a Obra Literária de Chico Xavier, hoje com mais de 500 livros publicados, além de ter sido gramaticalmente vasada de maneira exímia, desdobra o chamado “Pentateuco Kardeciano”, ou amplia a Codificação, aprofundando-se no estudo de seus Princípios Básicos: Reencarnação, Mundo Espiritual, Lei de Causa e Efeito, Intervenção dos Espíritos no Mundo Corpóreo, Pluralidade dos Mundos Habitados, etc. Portanto, do ponto de vista doutrinário, e não apenas literário, a Obra Mediúnica de Chico Xavier, pode ser considerada irretocável, sem a menor contradição com a ciclópica Obra de Allan Kardec, concebida em meados do século XIX.

Não obstante, os espíritos que pelo médium se expressaram durante 75 anos consecutivos – Chico psicografou a sua primeira página do Mundo Espiritual em 8 de Julho de 1927 –, continuariam dando mostras de sua identidade e estilo, quando, a partir da década de 70, os comunicados, ao se transformarem em depoimentos pessoais, trouxeram à escrita mediúnica os habitantes comuns da Pátria Espiritual, que, através do médium, intensificaram os seus contatos, em verdadeiras legiões, e com cada um deles escrevendo à sua maneira, inclusive, por vezes, valendo-se de gírias – grande parte desses espíritos, ao término de suas cartas, lograva assiná-las com a própria letra, além de mencionar detalhes de sua experiência reencarnatória tão somente conhecidos da família. Podemos, pois, dizer que, com Chico, esse novo gênero literário, as “Cartas Familiares”, inauguraram uma nova fase no intercâmbio entre encarnados e desencarnados.

Dentro de todos as espécies literárias que Chico psicografou, a diversidade de estilos é tão grande que, sem dúvida, o assunto carece de ser estudado por especialistas, de vez que, por si só, comprova a imortalidade da alma e a possibilidade dos vivos do Além entrar em contato com os vivos da Terra.

Através de Chico Xavier, portanto, a Literatura de Além Túmulo passou a integrar o vasto campo da Literatura, que não mais se restringe a autores encarnados.

Em 1932, quando “Parnaso de Além Túmulo” foi publicado pela Federação Espírita Brasileira, com o seu médium contando apenas 22 de idade, vários críticos se manifestaram a respeito da obra que passou a ocupar as páginas dos principais periódicos da época. E, para encerrar este pequeno arrazoado, escrito com o intuito de relembrar o 18 de Abril – Dia do Livro Espírita –, transcrevemos abaixo o que o célebre Humberto de Campos, que também escrevia sob o pseudônimo de “Conselheiro XX”, teve coragem de dizer sobre o “Parnaso”:

“Eu faltaria ao dever que me é imposto pela consciência, se não confessasse que, fazendo versos pela pena do Sr. Francisco Cândido Xavier, os poetas de que ele é intérprete apresentam as mesmas características de inspiração e expressão que os identificavam neste planeta. Os temas abordados são os que os preocupavam nesta vida. O gosto é o mesmo e o verso obedece, ordinariamente, à mesma pauta musical. Frouxo e ingênuo em Casimiro, largo e sonoro em Castro Alves, sarcástico e variado em Junqueiro, fúnebre e grave em Antero, filosófico e profundo em Augusto dos Anjos – sente-se, ao ler cada um dos autores que veio do outro mundo para cantar neste instante, a inclinação do Sr. Francisco Cândido Xavier para escrever à la manière de... ou para traduzir o que aqueles altos espíritos sopraram ao seu.”

 

INÁCIO FERREIRA

 

Uberaba – MG, 18 de Abril de 2021

 

domingo, 11 de abril de 2021

 

Paulo, o Pedinte – III

 

- Doutor, o senhor não fica com raiva de mim, não?! – perguntou-me o pobre irmão, depois que enxugou as lágrimas com o lenço surrado que lhe estendi.

- Raiva?! De você?! Claro que não...

- Eu não quero decepcioná-lo...

- Você não me decepciona, Paulo – respondi. – Decepção, eu sempre tenho é comigo mesmo...

- Sabe o que é, Doutor...

- Sei...

- Não tenho como agradecer ao senhor...

- A mim, você não tem como, e nem o que agradecer mesmo – repliquei. – A nossa gratidão deve ser sempre para com Jesus Cristo...

- Eu sei, eu sei... É modo de falar, Doutor, modo de falar... Eu não tenho nada contra ninguém...

- Entendo...

- Sabe o que é, Doutor... – repetiu-se.

- Diga lá, meu caro... Não hesite tanto...

- Eu queria pedir um tempo...

- Paulo, eu não sou dono do tempo...

- Um tempinho só... Eu ainda não me sinto preparado...

- Compreendo...

- O senhor me propõe “pegar” ou “largar”... Não é que eu queira largar...

- Você apenas não quer pegar...

- Mais ou menos...

- A vassoura, o lápis...

- Eu até que poderia ir com o senhor, mas... eu não vou ficar...

- Você é livre...

- Gostaria de pensar mais...

- Bem, as portas foram abertas – oferecemos a você o que está ao nosso alcance...

- Eu gosto da liberdade, da noite, de ver as estrelas no céu...

- De dormir ao relento, de levantar-se...

- Sim, a hora que quiser, sem nenhuma obrigação, nem mesmo, Doutor, a de lavar o rosto...

- Muito menos a de tomar banho, todos os dias – gracejei.

- Estou vivo, não estou?!...

- Vivíssimo!...

- Não morri, não é?!...

- E nem morrerá!...

- Então, Doutor, para que pressa?! Eu gosto de andar por aí... Eu não sou do mal, Doutor?! Eu sou do bem!...

- Se você fosse do mal...

- Jesus buscou a Paulo de Tarso, não é?!...

- Buscou – respondi. – Espero que você não esteja esperando que Ele venha buscar a você...

- Não, Doutor, não é isso... É que eu ainda não achei a minha Estrada de Damasco – filosofou.

Houve uma pausa e Paulo tornou a perguntar:

- O senhor não fica com raiva de mim, e nem triste comigo?!...

- Bem, um pouquinho triste, eu fico, sim...

- Fica não, Doutor... Se eu precisar, vou atrás do senhor...

- Posso não estar...

- Por quê?!...

- Tudo muda... Quem sabe, quando você me procurar, eu já tenha voltado?!...

- Voltado?!...

- Sim, para a Terra...

- O senhor terá coragem?!...

Sorri da espontaneidade do amigo e indaguei:

- Sinceramente?!...

- Sim, sinceramente... O senhor teria coragem?!...

- Coragem, eu não teria, mas, se o Senhor mandar, eu tenho que obedecer...

- Então...

- Então, Paulo, eu preciso ir andando – falei. – Você vai ficar bem?!...

- Vou, Doutor, não se preocupe...

- É uma pena! – exclamei, lamentando.

- Não era uma vassoura e... um lápis?! – ironizou, erguendo-se do chão e pegando uma bolsa com alguns poucos pertences.

- Estou me referindo a outro tipo de pena – frisei.

- Posso dar um abraço no senhor?!...

- Claro – respondi –, até dois, no máximo...

Abraçamo-nos e ele, com as suas pernas finas e a barba por fazer, antes de ganhar a rua, perguntou-me:

- O senhor teria uns trocados?!...

 

INÁCIO FERREIRA

 

Uberaba – MG, 11 de Abril de 2021.